10 coisas que criticava antes de ter filhos (índios pequeninos e muito queridos)



Antes de termos filhos pensamos que deve ser muito fácil educar uma criança, mas há pais que efectivamente não conseguem, por culpa sua, é claro.
Quando víamos uma criança mal-educada, ou a fazer uma birra na rua, a primeira coisa que pensamos é “ de certeza que não recebe educação em casa!”, e a segunda coisa em que pensamos, imediatamente a seguir é “filho meu nunca fará uma coisa destas!”
Eu me confesso, eu era assim. Até ter filhos.

Depois do primeiro nascer, nunca mais julguei.


As birras.
Pensamos que podem ser controláveis, e que conseguimos as evitar. Hello!! Não!!! As crianças são imprevisíveis, e temperamentais. Fazem birra se lhes apetece, e se forem dadas ao espectáculo, não se ensaiam em o fazer for a de casa, com assistência a ver. É como tentar conseguir parar um comboio. Um comboio muito barulhento e irracional.


Choramingar.
Quantas e quantas vezes digo: “ não consigo perceber o que dizes se falas assim?” Talvez umas 3547,93875.9645 aproximadamente. Os miúdos não choramingo porque sabem que resulta. Choramingam porque gostam de ouvir aquela lengalenga choramingas. E por causa do Ruca.

Não responder quando alguém chama por eles
Otites seletivas são frequentes com um dos meus filhos, apesar de já termos falado varias vezes sobre isso e explicado que é mal-educado, repete-se dezenas de vezes. Penso que ele responde, mas na sua cabeça, e não se apercebe que na verdade não houve palavras que na verdade não saíram palavras da sua boca. Ou então esconde-se por trás da suposta timidez. Isto da timidez é sempre um tema controverso, é tímido? Não é tímido? É mal educado? Não é mal educado?

Não ir para a cama, nem dormir
Algumas noites são mais chatas. Isto porque o mais velho diz que não consegue dormir, depois diz que adormeceu (durante uns longos 5 minutos) e teve pesadelos, depois porque quer ir fazer xixi, ou cocó, mas nada sai. Depois para dar um recado importante que não se lembra. E mais e mais.

Serem barulhentos, e excitados
O meu mais novo pode-se dizer que é naturalmente excitado por natureza (redundância bem aplicada!). E tem a capacidade de se auto excitar com brincadeira que vai imaginando. Alem do mais tem pilhas, pilhas Duracell. É também frequente quando tem muito sono passar para a euforia do sono. E ai começam os disparates mais disparatados. Gosta também de falar alto e cantar ou gritar, onde quer que seja. 

Mentir, ou florear a verdade.
Tenho um filho que desde que nasceu não pode ser mais honesto. Outro o oposto.

Andar com o dedo no nariz
Penso que se aplica a todos, ou quase todos ( ok mamãs, os vossos não o fazem, só os outros). Eventualmente deixam-se disso, mas é uma batalha.

Não lavar as mãos após ir á casa de banho
Fazia parte da rotina, íamos fazer xixi, e no fim lavamos as mãos. Agora vai sozinho, e muitas das vezes diz que se esqueceu das mãos. Já o outro delira com a agia e com o sabonete. Lava tudo, mãos, dedos, camisola, mangas, até o cotovelo.

Comer com a boca aberta
Para além de vermos tudo o que se passa la dentro, também temos banda sonora para acompanhar, e dar aquele feeling de experiência a 360º!
E após de milhares de vezes que se pede para fechar a boca, só pensamos na possibilidade de isto se repetir em casa dos amigos. Rezamos que não. O mesmo se passa com os cotovelos.

Todas as outras coisas embaraçosas que acontecem.
Sim, acontecem muitas vezes, e são embaraçosas. Quando o Mini decide deitar-se no chão, em qualquer lugar, seja na rua ou na garagem, na loja, ou no supermercado, e diz que vai dormir, ou então decide rastejar como se fosse um caracol.
Quando também acham piada ladrar, um para o outro, a imitar os cães da avo. Na rua.
Ou então, quando fingem que são índios, e correm á volta da mesa em loop, a fazer ohohohohohoho com a mão na boca, tal como o índio. Alto, bem alto, até que as outras mesas param para ouvir ( confesso que ouvidos de mãe e pai de forma inconsciente abstraíram-se pois tal era interessante a conversa com outra mãe e pai, que também se abstraíram, e não ouvimos. Sim é possível, leva anos de treino.)



Mas somos nós que ensinamos isto aos nossos filhos? Não. Aprendem na televisão ou na escola? Talvez. Fazemos o possível e o impossível para os ensinar que não se faz isso? Sim! E resulta? Ás vezes, mas só ás vezes…



foto http://www.velaimages.com/my-little-indian-boy-2/

Mais posts sobre Me&Us  e mais Mummy Stuff posts aqui

Comentários

  1. Isso tudo.
    Algum tempo atrás uma amiga minha criticou-me fortemente pelo comportamento do meu filho... tanto que cheguei a ter receio de ir a casa dela porque o meu filho podia fazer uma birra qualquer. E acredite, o meu filho faz birra sim, mas é igual a outra criança qualquer.
    Essa menina dizia-me muitas vezes que ia ser uma tropa em casa dela e que não admitia birras. Pois bem, afastei-me da pessoa porque o filho é meu e se não quer levar com uma criança o melhor é estar longe mesmo...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais lidas