Sabe porque não deve “dar tudo” ao seu filho?



A propósito deste último post, sobre se devemos ou não recompensar os nosso filhos por serem bons alunos, deixo aqui, que na minha opinião, está muito coerente. e esclarecedor 
Atualmente na agitação do dia-a-dia, manipulados pelo constante apelo ao consumismo, urge pensar e ponderar sobre a importância dos bens de consumo para as crianças.
Educar é talvez a tarefa mais complexa que o ser humano conhece. Educar no sentido do SER e não do TER, será determinante para a construção de uma vida FELIZ.
Na verdade ensinar a diferença entre o essencial e o supérfluo é uma tarefa que requer no mínimo habilidade, treino e muita coerência. A distância entre uma educação baseada na qualidade e não na quantidade está presente nas atitudes do adulto cuidador. As crianças são mestres na análise e imitação de comportamentos. Esta é uma competência que deve ser desenvolvida desde o nascimento e será determinante para construção da personalidade do seu filho.
Neste artigo pretende-se abrir a janela dos afetos, partilhando estratégias práticas e funcionais na criação de valores essenciais à vivência salutar numa sociedade partilhada entre todos e na qual o invocação desenfreada ao consumismo é uma constante.

Eu aprendo a escolher o que é mais importante para mim!

Uma criança estimulada a escolher e a selecionar o que é mais importante para si, ou seja, a diferença entre o desnecessário e o indispensável, desenvolverá a sua capacidade de resiliência. Deste modo, será dotada de ferramentas essenciais para lidar com as adversidades da vida.

Dicas práticas:

  • No supermercado peça ao seu filho para escolher entre duas coisas que gosta. Utilize com frequência as palavras: ”Ou” e ”Tens que escolher”…”Neste momento não é possível comprar…”
  • Crie um bloco dos sonhos ou desejos e sempre que o seu filho solicitar um novo brinquedo, explique que terá que o registar no seu livro de sonhos. Em momentos especiais, tais como Natal, aniversário…a lista será novamente revista em família e nessa altura os desejos podem tornar-se realidade.
  • Apresente a sua caixinha mágica portátil. Fotografe aquele brinquedo que o seu filho solicitou, explique-lhe que no momento não o poderá adquirir mas que existe um registo fotográfico. Como prémio e quando considerar adequado poderá oferecer esse presente.
  • Ofereça ou crie em conjunto com o seu filho, um mealheiro. Deste modo, será estimulado a poupar o valor necessário para a aquisição do bem que deseja.

Promover a satisfação imediata de vontades e desejos, funcionará como trampolim para a baixa resistência à frustração, bem como para a criação de crianças inseguras. Por outro lado, uma criança que aprende a valorizar o que é realmente importante e essencial, será certamente mais equilibrada emocionalmente, atenta, respeitadora e confiante.

A importância de ensinar a partilhar

Tantas coisas! Umas são para mim e outras para ti!
Promovendo a partilha, os pais tornam-se maravilhosos super-heróis revitalizadores de espaços e afetos. As palavras e os gestos estão sempre de mãos dadas com as emoções e deste modo torna-se fundamental ensinar que amor, muitas vezes se soletra P-A-R-T-I-L-H-A.

Dicas práticas:

  • Construa com o seu filho o cantinho das brincadeiras
Um quarto repleto de brinquedos anula o desenvolvimento da fantasia e da criatividade. Imagine que entra num espaço apinhado de diferentes objetos, causadores de múltiplos estímulos. Como se sente? Confuso? Sem saber o que fazer e onde mexer? Com vontade de manejar tudo ao mesmo tempo?
Este cantinho deverá ser criado em conjunto com o seu filho, sendo composto pelos brinquedos de eleição e adequados à sua faixa etária. Deste modo, os objetos passam a ser únicos e verdadeiramente importantes… deixam de ser mais um brinquedo no meio de tantos outros, passando a alcançar o estatuto de especiais, representando “o(s)” brinquedo(s) com os quais gosta de brincar.
Neste sentido, deverá estimular a partilhar dos objetos ou peças de vestuário e calçado que se encontram em bom estado e poderão ter utilidade para outras crianças.
  • Incentive a criação de presentes personalizados
No aniversário do amigo ou do familiar valorize a realização de presentes únicos e feitos manualmente com dedicação e carinho. O verdadeiro valor das prendas reside nos afetos em detrimento do valor monetário.
O mais interessante e gratificante é perceber que os pais podem ensinar o valor da partilha, da solidariedade, bem como da perseverança, de forma criativa e repleta de emoções positivas.
A família deve assumir-se como porto de abrigo seguro e no qual são frequentemente criados novos caminhos impulsionadores de crescimento, auto-estima, auto-confiança e determinação.
Deste modo serão vividas encantadoras histórias de infância, as quais terão como ingrediente principal o AMOR, independentemente da cultura, religião e/ou valores familiares.



fonte: texto integralmente retirado do site Mãe-me-Quer Dra Marta Guerreira.
foto: pinterest
Ver mais posts sobre educação e desenvolvimento dos bebés e das crianças, ver aqui

Comentários

Mais lidas