A epopeia da mulher, que quer engravidar, e que depois foi mãe



Post repescado, mas pedido muitas vezes. Passamos todas por isto não é?

A epopeia da mulher quando engravida 
A mulher tem que engravidar naquela idade certa, pois muito cedo é ainda uma criança e muito tarde é já considerada uma avó que deveria ter juízo.
Não pode ser muito cedo pois senão desperdiça uma vida e demonstra falta de ambição, mas também se for muito tarde já é uma egoísta que só pensa em carteiras e sapatos e nas viagens que pode fazer com o vencimento chorudo que recebe no fim do mês. 
Se esperar após os trinta, de certeza que o seu relógio biológico começou a dar horas, e se for acima dos 35 irá obviamente ter muito problemas em engravidar. Se for antes dos 25, mostra uma falta de conhecimento do que é o mundo e das implicações que é em criar um filho. Certamente terá que ser os avós a tomar conta da criança. 


A epopeia da mulher grávida 
A mulher gravida tem que estar feliz e gorda, senão não é uma grávida normal.
A mulher  grávida tem ter as pernas inchadas e irradiar um brilho inexplicável pelo olhar cansado, caso contrário pode até ser o caso de uma gravidez não desejada. 
A grávida tem que preparar tudo no timing certo (escrupulosamente definido pelas outras mães exprientes e especialistas), se for muito cedo é uma stressada e até agoura os bons ventos que lhe sopram, se for muito tarde é uma desleixada e preguiçosa. 
A mulher grávida tem que se apresentar bem disposta, serena e tranquila com o seu novo estado e segura de si para receber a maternidade de braços abertos. Se por acaso deixar transparecer um índice de preocupação e ansiedade, é sem dúvida alguma uma stressada neurótica que deve certamente tomar calmamentes para poder dormir. Caso também se apresente num estado muito zen, corre o risco de ser chamada de New age hippie e imatura sem consciência do que o futuro lhe prepara. 
A grávida tem que fazer tudo com uma energia esfervecente, e ter uma personalidade "bubbly", com risinhos e cuchichos, gargalhadas e saltinhos constantes. Se não tiver esta energia típica que irradia das grávidas poderá estar a precisar de ferro para superar essa anemia lactente. Se for em demasia, é uma exitada que deve pensar que é a única no mundo com o rei na barriga. 
A mulher grávida tem que conseguir trabalhar até ao fim do tempo. Se for para casa muito cedo e é então uma fraca que devido a sua anorexia até tem problemas em manter a gravidez. Se for mesmo até ao ultimo dia, é uma inconsciente e alguém tem que lhe dizer que precisa de abrandar o passo. 
Se a barriga da grávida for pequena, então é porque não come e tenta a todo o custo não engordar. O bebé certamente deve ter problemas de desenvolvimento e terá o tamanho de uma ervilha. 
Se a barriga for muito grande, obviamente não ligou nenhuma aos conselhos do obestetra e está a usar a gravidez como desculpa para comer desalmadamente. Segundo os especialistas poderá ate ser impossível recuperar a forma. 
Se a grávida faz tratamentos de beleza e aplica cremes no corpo e barriga, é uma vaidosa com a mania que é menina e acha que vai ficar muito bem no pôs parto. Se não aplicar, é uma desleixada e coitado daquele marido que vai ter que a gramar num lindo estado após o parto (e pela sua vida toda).
Se tiver a ousadia para ir ao ginásio é uma louca com a mania da ginástica. Se ficar em casa é uma preguiçosa que até deveria ir fazer um treino para ver se consegue andar e não rebolar. 
A grávida que opte por uma cesariana é uma mariquinhas cheia de medo, que não sabe que o corpo da mulher foi desenhado para conceber e dar á luz. A que optar por um parto normal vive na pré história e tem a mania da"naturalidade". Ignorante que desconhece a evolução do mundo médico. 


A epopeia da recém mamã
A recém mamã tem que estar sempre feliz com o seu novo bebé, pois pode transparecer alguma depressão pôs parto a quer surgir, ou até mesmo dificuldade em lidar com a criança. 
A recém mamã tem que estar inchada e gorda, despenteada e desnorteada, caso contrário não é real ou fez algum tratamento cirúrgico para recuperar o corpo. 
A recém mamã tem que dar de mamar,pois se não o fizesse era certamente uma egoísta que ponha os interesses dela a frente dos da sua cria. A recém mamã tem que ter dificuldade em dar de mamar pois todas tivemos e só assim é que é certo. Tem também que dar de mamar numa determinada posição, pois as outras já tentaram posições diferentes e não o conseguiram. 
A recém mamã tem que fazer tudo sozinha, pois se tiver ajuda é uma mimada, mas também se fizer tudo (mas mesmo tudo) sozinha é uma inconsciente e que não sabe que precisa de descansar. 
A recém mamã tem que ter o iPhone carregado de fotografias e só falar apenas do seu rebento, do cocó que faz, das vezes que chora e que arrota, pois senão o fizer é uma ingrata que não dá graças aos céus pela felicidade que tem. Se exagerar na conversa é também considerada demasiado excessiva que não sabe falar para além de fraldas e biberões. 
A recém mamã tem que ter dúvidas, pois não nasce ensinada e o instinto maternal nunca lá é muito bom na primeira viagem. Mas se a quantidade de dúvidas forem superiores á quota definida pelas especialistas evidencia uma mãe insegura e até um pouco irresponsável. 
A recém mamar tem que gozar a licença de gravidez por inteiro. Mas tem que continuar a dar apoio ao escritório, no meio de mamadas e fraldas pois está em casa há 4 meses a descansar  e bem que pode dar uma mãozinha a quem realmente trabalha e põe este país a andar para a frente. Se a mãozinha já for um braço completo de ajuda então é considerada uma loca que em vez de tratar do filho e aproveitar foi-se meter no computador. 
Caso opte por até ficar os 5 meses em casa, é uma pessoa que se quer aproveitar do Estado e já agora da boa fé da empresa, e quer ficar de papo para o ar e sem fazer nenhum, a ler revistas e fazer manicures. Habitou-se a boa vida. 
Caso fique não fique os 5 meses, é mais uma vez uma mãe desgraçada que não consegue desligar o iPhone e desconectar-se do mundo empresarial e viver a maternidade em estado absoluto. 
A recém mamã tem que dormir com o bebé ao seu lado, em cima de si, abraçada e agarrada a ele com muito amor e carinho, todas as noites, todas as sestas. Se for até muito tarde, coitada, ainda não conseguiu perceber que o filho cresceu e precisa do seu espaço, bem como o seu casamento, que certamente deve andar pelas ruas das amarguras. Se o mandar muito cedo para o seu quarto e dormir sozinho, então, esta recém mamã deve obviamente estar cheia de problemas no casamento, pois nem deve ter bases sólidas para aguentar uma crianças, e certamente precisam de mais privacidade do que é habitual nestes jovens pais. 
A recém mamã tem que ter uma agenda social q.b. Muito social denuncia uma euforia desmedida para fazer programas e uma necessidade em estar com pessoas e sair de casa. Se for muito reduzida, certamente está gorda e inchada, até com uma depressão pôs parto, e recusa-se a ver a luz do dia. 

Foto:pinterest

mais Mummy Stuff posts aqui

facebook | instagram | google+| bloglovin|  


Comentários

Enviar um comentário

Mais lidas