Grávidas e com um bebé em casa


Reality-of-Being-Pregnant-and-Having-a-Toddler



Estar gravida e ter em casa um bebé é cansativo. E se o bebé tiver cerca de 1-3 anos, ainda mais cansativo é! Todos nos dizem para começar a pensar no segundo filho, para não deixar muito espaço entre eles, e que 3 anos é o ideal. 
Sim! O ideal! Mas ninguém nos diz  como é mesmo uma gravidez com um ser mini de 2 anos, com birras e energia para dar e vender. 


Bem me lembro da minha primeira gravidez, que felizmente foi muito tranquila, sem sobressaltos nem complicações. Quando chegava a casa podia descansar, deitar, ver televisão, dormir a noite toda, acordar tarde ao fim-de semana, desfrutar de momentos silenciosos e tranquilos.

Quando foi da segunda gravidez, a barriga começou a ficar grande e pesada bem mais cedo do que a anterior, e o meu cansaço era bem visível na cara e no corpo.

Chegava a casa de trabalhar cansada, e tinha um miúdo de 2\3 anos super energético e cheio de saudades minhas. Queria brincar comigo, queria saltar, queria que eu saltasse, queria aproveitar todos os momentos para estar comigo (e em cima de mim). 

Quando vi este artigo, recordei muitos dos meus momentos, que obviamente eram bons, mas verdade seja dita, cansativos.

Mães gravidas e com filhos pequenos, leiam à vontade, e acreditem, é mesmo assim ( ou quase, ok). Mas também lembrem-se, o tempo passa, e tudo começa a ficar mais fácil.


Vão ter ciúmes das mães de primeira viagem.
Vão olhar para as mães de primeira viagem e ter saudades desses tempo de descanso e de relax. Esse oásis da gravidez. 
Vão olhar para o bebé de 2 anos, a correr freneticamente à vossa volta enquanto emite uns sons sonoros bem altos que fazem vibrar a vossa cabeça , e vão se relembrar desse oásis que foi  a primeira gravidez. Sestas quando convém, ver televisão descansadamente no sofá, acordar tarde só porque o corpo pede.
E por muito que digam ás mães de primeira viagem, para aproveitar esses momentos oásis, elas não se vão acreditar, nem muito menos ouvir. 


Vão pensar que o bebé de 2 anos é algo alucinante
Eles têm a capacidade fenomenal de pressentir quando a mãe precisa de descansar e quando precisa de silencio. E depois canalizam todas as energias para fazer exactamente o oposto!!! 
Mesmo estando muito concentrados a brincar sozinhos, ou super entretidos a ver o Pingu, presentem quando a mãe se senta no sofá para tentar ter 3 minutos de descanso. E o que fazem? Nada mais do que pôr para cima da mãe e querer atenção. Muita atenção. 
E quando a mãe está quase quase a adormecer, eles acordam aos berros, pedem coisas, têm fome (mesmo tendo comido há nem 30 minutos atrás). 

A barriga começa a ser um ponto de atracção
À medida que a barriga cresce, e cresce muito mais rápido, começa a ser uma atracção para o bebé. Deita-se em cima, encosta a cabeça, usa como almofada, como esconderijo, como encosto. 


Não há simpatia nem empatia
Os adultos até têm empatia com a nossa nova condição. Os que nos acompanham mais de perto, até nos consideram quase heroínas pois com aquele barrigão ainda temos um índio à solta em casa. Mas o tal índio não é benevolente, nem tem consideração, nem muito menos tem pena. Vai querer a tal bolacha, e vai querer agora. Vai querer aquele brinquedo, e tem mesmo que ser aquele que esta ali cima bem guardado em cima daquela prateleira perto do tecto. Tolerância zero, nem mesmo para a mamã gravida. 

A segunda gravidez vai parecer interminável, e 10 vezes  mais difícil do que a primeira.
Certo e garantido!! 
E não vamos conseguir distinguir se é devido ao facto de que todas as gravidezes são diferentes ou se é por causa daquele índio que corre desalmadamente lá por casa. Nem um momento de sossego na casa-de-banho haverá.

O bebé vai se colar a si, durante os 9 meses de toda a gravidez 
Por algum motivo que desconhecemos, o bebé vai se colar a nós como nada antes visto. Talvez por estarmos sempre a dizer que vem aí um novo bebé, e eles ficam assustados, talvez por verem tanta novidade em casa, e ficam assustados, talvez por sentirem tanta coisa diferente, e ficam assustados. E agarram-se +a mamã com unhas e dentes, e nós nem conseguimos sequer respirar. 
Mas atenção! Não tentem fugir, desaparecer sem ninguém dar conta, sumir de forma silenciosa. Eles  têm um 6º sentido e começam a gritar como se o mundo tivesse ruído "mamã mamã!"

O vosso bebé vai ficar mais bebé (ainda).
E vai piorar quando o bebé nascer. Vai desaprender tudo, e vai haver dois bebés em casa, o grande e o pequeno. 
Pode querer voltar a usar fraldas, a não comer sozinho, a usar chupetas. a chorar como um recém-nascido. 

Vão partilhar birras
Vão haver momentos que não se distinguira o adulto, do bebé, o teimoso e o maduro. 
Vão partilhar choros, a mãe porque está exausta, o bebé porque quer aquele urso que nunca antes ligou.  E as hormonas não vão ajudar.

Sim, sim, ter filhos muito seguidinhos é mesmo bom! É o que dizem...

Como em tudo, vai haver momentos bons, menos bons, mais cansativos e menos energéticos. Mas haverá momentos muito recompensadores, como quando eles tocam ou dão beijinhos na nossa barriga, ou quando começam a cantar músicas de embalar ao bebé ainda não nascido, ou quando nos dão um abraço do tamanho do mundo. 

foto: Shutterstock

mais Mummy Stuff posts aqui

Comentários

Mais lidas