Das coisas que não se deve publicar no facebook | Partos e afns



Todos os dias imensas mães bloggers recebem inúmeros comentários sobre o que devem ou não publicar no facebook. Na sua maioria, são comentários de pessoas muito preocupadas com a proteção e segurança dos filhos dessas mães bloggers. Não se deve expor muito a criança, deve-se reduzir drasticamente o número de fotografias da criança, não se deve publicar a foto da criança em calções, em fato de banho, a rir-se etc etc. As orientações dadas por desconhecidas são imensas e todas velam afincadamente pelo bem-estar da criança.

Depois, um dia, abrimos o facebook, e deparamos com uma coleção de fotografias de uma senhora que não conhecemos de lado nenhum, nua, ao que parece numa piscina dentro de casa. Ficamos baralhados, lemos mais um pouco, e descobrimos que afinal a senhora, nua, que não conhecemos, estava a ter um parto caseiro, na água, e achou que seria uma boa ideia partilhar as dezenas de fotografias num grupo de 11 mil mães suas desconhecidas, e noutro grupo que ronda as 6 mil mães, também na sua maioria suas desconhecidas. Não só fotografias suas onde aparece completamente nua, como também de pormenores bastante específicos  e gráficos como o preciso momento do nascimento.
E depois ainda há umas tantas outras mães que comentam como as imagens são lindas e maravilhosas. Tenho a certeza que muitas destas mães são as mesmas que atacam ferozmente as outras por publicar fotografias dos filhos em que aparecem vestidos e em situações do quotidiano banais.


Atenção, eu não condeno um parto, longe disso. É sem duvida um momento lindo e maravilhoso. Mas é um momento intimo e privado que poderá ser partilhado com a família  e amigos, mas não com 17 mil mães desconhecidas.  Não consigo perceber o que leva uma senhora a deliberadamente a publicar dezenas de fotos suas, em que aparece completamente nua, num momento intimo, com um vasto e alargado grupo de 17 mil mães desconhecidas. São 17 MIL MAES DESCONHECIDAS. 17 MIL.
É que podia ser publicado no seu mural, para os seus amigos e família, e fazer uma chamada de atenção nos referidos grupos para o álbum que publicou. Dando assim a opção ás 17 MIL DESCONHECIDAS de a verem ou não nua, de verem ou não fotografias bastante gráficas e descritivas, e INTIMAS. Dava a opção.

E depois vêem-se queixar que as mães bloggers expõem de mais os filhos….


(nota: pessoalmente não recebo tantos comentários a criticar as minhas fotografias, mas vejo nos outro blogs e instagrams)





Mais posts sobre Me&Us e mais posts com a tag "opinião" ver aqui.

Comentários

  1. também nunca entendi certas publicações, percebo que estejam extasiadas e felizes da vida, drogadas até de overdose de emoções, mas também concordo que há limites... mas na verdade, cada um sabe de si, ou não? ...esperemos

    ResponderEliminar
  2. Ola Andrea, sim cada um sabe de si, mas no momento em que estão envolvidas 17 mil desconhecidas, acho que temos que ter uma certa preocupação com o decoro.

    ResponderEliminar
  3. Coincidentemente, acabei de ler uma matéria sobre a exposição de filhos na Internet escrito por um colunista voluntário lá na Canção Nova: http://formacao.cancaonova.com/familia/pais-e-filhos/a-exposicao-dos-filhos-na-internet/

    Na minha opinião, eu acho importante questionarmos a nós mesmos quando desejamos tornar público aquilo que é íntimo em nossas vidas. Existem coisas seguras e convenientes, mas outras nem tanto. É uma questão de preservar a si mesmo e, principalmente, aqueles que nós amamos. O maior perigo, acredito, é o do arrependimento. Uma vez publicados na Internet, uma foto, vídeo, ou simplesmente um relato, pode "viralizar" e aí não tem mais como segurar: pessoas de todo o tipo poderão conhecer momentos íntimos da sua família.

    Como tudo na vida, acho que o bom senso precisa mandar nessas horas. Fotos inocentes e não constrangedoras são muito legais de se compartilhar. Agora, realmente, um parto é uma das situações mais íntimas dentro da família. Só não é mais íntimo do que o ato que levou a concepção daquela criança.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais lidas