Hoje tive muita paciência

Tive muita paciência quando ele decidiu entornar o biberão na cama, no tapete e nos lençóis. Tive muita paciência quando levei tudo para a lavar, e descalça tropecei num lego. Os mesmos legos que eu já tinha pedido com muita paciência ontem à noite para arrumarem, mas que agora estão aleatoriamente espalhados pelo chão. Tive muita paciência quando o meu pé descalço galgou o lego azul e me fez tremer de dor que parecia que me perfurava o calcanhar.

Continuei com muita paciência quando o persegui pela sala e pelos quartos para o levar para a banheira. Pacientemente expliquei-lhe que temos que tomar banho pois senão ficamos sujinhos e ninguém gosta de meninos sujinhos. Ainda com muita paciência expliquei que temos que sair da banheira pois a água que estava limpa agora está suja e em vez de lavar só vai sujar.
Tentei espalhar o creme e tive paciência quando vi que metade foi para a colcha da cama e não para a pele na barriga. Sim, tive paciência quando o secador caiu três vezes no chão e uma vez em cima do pé ainda combalido com o lego.

Partilhamos a paciência com as músicas altas no carro e quando o mais velho tenta arreliar o irmão só porque está aborrecido e quer divertimento sentado na sua cadeira no banco de trás do carro. Houve paciência quando um ria-se e o outro chorava, e quando a chupeta caiu para debaixo do banco e decidiu desaparecer no buraco negro que é o chão de um carro. 

Respirei fundo de paciência quando corajosamente fomos ao supermercado e o mais novo achou por bem carregar em todos os botões que visse. O mais velho tentava desajeitadamente pesar as bananas mas ele próprio fazia força na balança e tive paciência mais ainda quando o mais novo desligou essa mesma balança. E a outra. E a outra.
Inspirei paciência quando após me ter virado por uns míseros 2 segundo o vi ajoelhado no chão a procura do botão para desligar uma das arcas congeladoras enormes que lá estavam, e ainda inspirei mais fundo de paciência quando verifiquei que ele foi bem sucedido.

Olhei lá apara fora e estava a chover muito, como a minha paciência.
Expirei.
Voltei a inspirar paciência em dose tripla quando o senhor do casaco verde achou que era uma óptima ideia estacionar o seu carro de modo que me impedia de sair com o meu carro ou até sequer entrar com as compras e com os miúdos. Chovia paciência e chovia muito,

Tive também ainda mais paciência quando os senhores da meo me disseram após uma longa espera do outro lado da linha, que afinal os documentos não estavam bem e que a data preenchida (pelos próprios) estava errada, pois estamos em Fevereiro e não em Abril. E que o processo já longo e moroso iria voltar ao início.

Inspirei paciência quando o meu fiel ipad decidiu que não carregava mais, emitindo assim um longo e profundo ecrã preto, e apagando os meus documentos escritos, horas a fio de prosas e prosas, sumidas no longo e profundo ecrã preto do meu fiel companheiro. 

Expirei paciência, quando me disseram que preciso de ter paciência.


Olhando para o dia, posso dizer que sim, tive muita paciência.    

foto: pinterest
Mais posts sobre Me&Us 

Comentários

  1. Mas com toda a certeza, quando finalmente deitou a cabeça na almofada, dormiu tranquila porque, em vez de explodir 10 vezes com os miúdos, teve tooooooda essa paciência... ;)

    ResponderEliminar
  2. eh lá... isso é que são momentos atribulados :-( Haja paciência eheheheheheh!!!
    E eu confesso que a minha paciência se esgota em instantes, precisava assim de um carregador de paciência, tipo os dos telemóveis...
    Beijinhos***

    ResponderEliminar
  3. eu sei como isso é.....há dias que me sinto mais "zen" e outros menos paciente. mas também ja me disseram que por vezes tenho uma paciência ao estilo passivo agressivo lolololllol... bjs :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais lidas