Quando tirar as fraldas?




Este é um assunto muito falado cá por casa, quando tirar as fraldas ao Tomás. 

Com o João foi por volta dos dois anos e meio quase três,e relativamente pacifico.Foi numa sexta-feira, disse adeus às fraldas. Escolhemos a sexta-feira pois assim teríamos 2 dias em casa com ele para o acompanhar. Fez uma vez no chão, e mais uma ou outra que não chegamos a tempo. Não usamos o bacio, foi logo para a sanita (o que foi bom porque assim fazia em qualquer lado e não estava dependente do bacio). Em dois dias, livrámos-mos das fraldas e foi bastante fácil. Rapidamente começou a pedir para ir, e nós estávamos sempre atentos. 

Agora com este piratinha desconfio que terei dias longos e compridos pela frente.
Quando iniciar o desfralde?
Cada criança tem o seu ritmo, uns largam mais cedo e outro ficam ate mais tarde. A média ronda os 2 anos de idade, mas existe um conjunto de itens pelos quais conseguimos perceber se a criança está preparada ou não. 

Estes são:

·        Já não querer estar sempre de pé e a andar de um lado para o outro;

·        A linguagem estar bastante desenvolvida;

·        Saber dizer Não;

·        Saber pôr as coisas no sítio certo;

·        Começar a imitar os pais e irmãos mais velhos;

·        Começar a manter-se seca durante uma ou duas horas;

·        Fazer cocó a horas certas;

·        Estar a conquistar a consciência do seu corpo.

Estes sete sinais eleitos por Brazelton como essenciais revelam que o controlo dos esfíncteres, ou seja, aprender a reter durante algum tempo o chichi e o cocó, é uma capacidade complexa e que está relacionada com uma série de outras aquisições. Deixar as fraldas depende de aspetos fisiológicos, mas também cognitivos, psicológicos e emocionais.

Assim, deverá avaliar, separadamente, alguns parâmetros do desenvolvimento do seu filho, para perceber se ele estará pronto para mais este grande passo:
·        Aspetos fisiológicos e de motricidade,

  • Desenvolvimento cognitivo e linguagem,
  • Aspetos emocionais e sociais,
  • E vivência na creche.

Iniciar muito cedo o desfralde:
Estudos indicam que caso o desfralde comece antes de acriança estar preparada, pode dar origem a um mal-estar psicológico não negligenciável:
«Quando as crianças são pressionadas antes de estarem preparadas para serem bem-sucedidas, os insucessos resultam em problemas sérios como a retenção das fezes, a incontinência fecal ou a enurese noturna» (A Criança e a Higiene, de T. Berry Brazelton e Joshua D. Sparrow, Presença).

4 erros que os pais cometem no desfralde das crianças


1.     Antecipar o processo
É importante que esteja atento aos sinais que a criança emite, já que não há uma idade específica para o desfralde. A partir de 1 ano e meio, ela consegue controlar o esfíncter anal.

Não se apresse. Espere que seu filho se demonstre incomodado com a fralda suja, que comece a avisar que quer fazer ou que fez xixi, que desenvolva consciência corporal para alertar sobre dores e sensações gerais.

Antecipar o momento certo para o desfralde pode causar frustração na criança.

2.     Criticar a criança
É normal que durante esta etapa por vezes a criança não consiga avisar com tempo e que faça xixi ou cocó no chão. Não o critique nem ralhe com ele. As repressões podem deixar a criança insegura e reter as fezes e a urina, o que ainda é pior.


3.     Comparar com os irmãos
Cada criança tem o seu rimo e o seu passo próprio. Não o compare com os irmãos ou primos. Ao o fazer está a por pressão psicológica na criança e consequentemente a atrasar o desfralde, criar insegurança e frustração no bebé.


4.     Acomodar-se
O desfralde pode ser rápido como também pode demorar. Exige esforço e paciência, e dedicação. Não o adie só porque não dá jeito ou porque vai atrapalhar o quotidiano. Se a criança já estiver a mostrar sinais, deve aproveitar e iniciar o desfralde.


Alguns conselhos para pais:
Não ponham fralda à criança no fim-de-semana só porque é mais cómodo.
• Mostrem muita satisfação de cada vez que a criança pede para fazer chichi ou cocó e faz no bacio ou na sanita. Valorizá-la e felicitá-la por uma conquista que é sua.
• Nunca repreendam a criança por uma distração. Repreensões e humilhações podem fazer com que a criança se recuse a colaborar e deixe de querer andar sem fralda.
• Nunca forcem uma criança a estar sentada no bacio.

 Ideias de como tirar as fraldas a meninos, ver aqui.  

Fotos: pinterest   
fonte:

Revista Pais & Filhos

Babycentre

Ver mais posts sobre educação e desenvolvimento dos bebés e das crianças, ver aqui

facebook | instagram | google+|

Comentários

Mais lidas