Temos artista! (e o primeiro castigo do Tomás)




Incentivo muito a pintura e todos os trabalhos manuais cá em casa. Como eu gosto de tudo o que envolva pinturas e tintas e trabalhos manuais, sempre que podia puxava pelo João para transformarmos o seu quarto num ateliê e  passarmos uma tarde muito criativa.

Desde plasticinas, a areias coloridas, a acrílicos e T-shirt painting, acho que fizemos de tudo um pouco. O João já por si é muito arrumado, por isso, era raro alguma coisa correr mal e nunca (ou quase nunca) sujávamos fora do espaço pretendido.

E depois veio o Tomás.

Criativo por natureza, expansivo por definição, penso que não há nada que ele não abrace de forma espontânea e efusiva. Descobriu os marcadores e então foi também descoberta uma veia artística. Adora tudo o que pode pintar e sarrabiscar.

Mas como o menino é (bastante) mais malandro do que o irmão, nunca podemos estar descansados. E quando está calado durante algum tempo, normalmente não é bom sinal.

E mais uma vez confirmou-se que não há exceção para esta regra: muito silêncio, muitas asneiras.

Domingo de manhã, estávamo-nos a preparar para sair. Devem ter passado não mais do que dez minutos em que deixamos de o ouvir. O João, pai, andou à procura do menino, e não é que o foi encontrar muito caladinho (e entretido), de joelhos, com um marcador daqueles gordos e pretos na mão, a embelezar os lençóis da cama do irmão. Lençóis brancos que num ápice passaram a pretos, com riscos em todas as direções, círculos, gatafunhos e sarrabiscos.

Nem nos queríamos acreditar! Primeiro, não sei onde ele foi descobrir o marcador, e segundo, estas coisas com o João nunca ( mas nunca!) aconteciam! Foi um misto de querer rir mas não poder, ficar incrédula mas ao mesmo tempo ficar irritada.

E agora que venham os apologistas das doutrinas de educação apelidadas de "amor aos saltinhos", cutchie-cutchie, positivas ou negativas, respeitadoras da criança como um ser adulto, de estilos de consciência plena da individualidade da criança  e tantas outras,  que venham criticar e apontar o dedo, mas que o menino levou uma palmada naquele rabiosque almofadado, levou, e chorou, não por ter doído, mas porque viu que fez asneiras. E ainda ficou de castigo, sentado na cadeira sem poder sair.

Sim, critiquem, pois não respeitei a veia artística do meu jovem Picasso. Critiquem pois ele levou uma palmada (sim, uma palmada, em pleno 2014!) em vez de eu ter conversado educadamente com o bebé de 23 meses e fazê-lo compreender que as pinturas se devem cingir apenas à área restrita do papel. E, sim, ele ficou sentado, de castigo!

Como é possível fazer tanta maldade de uma só vez a uma criança? 

Foto: pinterest

Comentários

  1. :) eu não tenho outro filho para comparar mas o meu David é um desafiador puro! adora pintar e fazer tudo à maneira dele. até na escola a professora diz que tem dificuldades em o "domar". e por isso também leva no rabo almofadado e fica de castigo (sentado no chão entre a chaiselongue e o sofá). a ultima foi termos montado uma billy do ikea com portas branquinhas e passado 2 horas, só 2 horas, estarem todas decoradas com lápis de cera! mas também fiquei como tu: misto de riso com possessão!

    ResponderEliminar
  2. Também tens artista Paula!!!! Obrigada pelo comentário, não estou sozinha....😄😄

    ResponderEliminar
  3. Desculpem, mas fartei-me de rir ;) Isto no meu caso já é um misto de desespero...pois ás vezes não sei mesmo para onde me virar.
    Tenho 3 filhotes, todos eles muito teimosos e traquinas. Hoje de manhã o mais pequenito (2 anos feitos em Maio) acordou cedo e ficou um bom bocado na cama a cantarolar e a chamar pela irmã. Eu e o meu marido já estávamos a pé, mas como o ele não chorava deixa-mo-lo estar e fomos preparando o pequeno almoço e arrumando algumas coisas na cozinha. Assim que o pequenote começou a choramingar fui buscá-lo: tinha-se despido todo, inclusive a fralda, fez cocó e xixi, espalhou por ele todo e pela cama....um cheiro horrível...a cama, as roupas, a parede...tudo imundo, eu nem sabia para onde me virar. Agora que já está tudo limpo e arrumado estou mais calma, mas imaginem o meu desespero. Estes pequenos traquinas são o melhor do nosso mundo <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahaha Catarina!!! Essa ainda foi (muito) pior que a minha!!!!!! E mais mal cheirosa!!! Nem imagina a sua cara!!!!

      Eliminar
  4. Com 23 meses não acredito que tenha feito por mal! Mas, não tivesse eu 3 filhos, todos rapazes, faria a mesma coisa claro, conseguimos lá pensar na altura!! O do meio, aos 3 anos pintou-se todo de vermelho e azul com caneta! Foi braços, pernas, mãos... e pq? "É pa xer o homem anhanha mãe..." Não lhe dei nenhuma palmada, nem ficou de castigo, mas só por acaso! A esfrega que levou para o livrar daquilo serviu-lhe de emenda... :)

    Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não Sandra, fazer por mal, deliberadamente fazer asneira acho que também não foi, mas acredito que sabia que algo não era suposta ser assim. Este pirata já sabe quando vai fazer asneiras , e ainda por cima por vezes chama-me todo contente a dizer " axneya"

      Agora todo pintaidimho de vermelho.. Ahahahaa deve ter sido muito giro !!!!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mais lidas