Por cá, estes dias

O João corre pela casa a gritar " morte aos tiranos", e desconfio que os vizinhos devem achar que somos algo entre loucos e déspotas".
Juntamente com os tiranos, arranjou uma espada de esponja que o tio lhe deu e diz que é um samurai. Faz a vénia de cumprimento e muitos gestos com as mãos de auto-intitula de karaté.

O Tomás aprendeu a dizer "pirilau" ( não sei como nem com quem) e não se retrai em o fazer. Ao contrário das outras palavras que diz, está - vá-se lá saber porquê - é dita com todas as sílabas, e bem pronunciada. 

Fui a uma consuta de ortopedia devido aos meus joelhos fracos. Deitada na cama para fazer os exercícios de despiste, o médico simpaticamente diz" vejo que traz as obras de arte dos seus filhos". Não percebi, pois até nem tinha comigo a pulseira dos elásticos. Ele viu a minha cara de meia perdida e apontou para os meus joelhos. Pintados, sarrabiscados. 
Morri de vergonha, e pelos vistos andei o dia todo assim. 
Ele riu-se da minha vergonha e eu só pensava na figura triste que tinha feito durante TODO o santo dia. 

"Mamã, olha que giro! As migalhas perseguem-me!!" Diz o João enquanto mastiga a última bolacha do pacote.

O Tomás sente que tem poder. Tem controle e poder, e isso está-lhe a subir a cabeça. 
"Anda cá Tomás"
"Inhãooooo"
"Vamos tomar banho?"
"Inhãooooo"
"Quer papinha?"
"Inhãooooo"
"Vamos brincar com os legos?"
"Inhãooooo"
"Vamos comer uma bolacha?"
"Inhãooooo"

O não já é uma palavra automática predefinida, mesmo quando se apenas chama o seu nome:
"Tomás"
"Inhãoo"

Por falar em palavras predefinidas, não é só o inhãoo do mini T, o piolho João também adquiriu uma frase standradizada, aplicada sempre às tantas horas da madrugada. 
Quatro da manhã, João chama
"Quero ir ver desenhos"
"Ainda é noite, dorme"
"Então vou fazer xixi"

Cinco da manhã, João chama 
"Quero ir ver desenhos"
"Esta tudo a dormir, dorme"
"Então vou fazer xixi, ah e dói-me o pé!"

Sete da manhã, João chama 
"Quero ir ver desenhos"
"Ainda é  muito cedo, dorme"
"Então vou fazer xixi"

Hora de dar medicação, acordo João devagar 
"Quero ir ver desenhos"
"Toma o remédio, ainda é muito cedo, dorme"

Três da manhã, João chama 
"Quero ir ver desenhos"
"Tem juízo , ainda é noite, dorme"
"Então vou fazer xixi"

As pernas do Tomas parecem as de um profesisional de rugby, sarapintadas de negras e negrinhas.

"Uão pai! Oya o Uão fio"
(João pai, olha o João filho )

João pai desliga telefone, João filho diplomaticamente diz " manda cumprimentos aos teus amigos!"

Falta mais uma semana de colégio, praticamente 3 para as férias grandes. Estamos todos ansiosos e já cansados deste tempo esquisito, frio e chuva, sol e calor, tudo na mesma semana. 
Ainda quero ver se aproveito os saldos para comprar roupa para o meninos já para o próximo ano, mas desconfio que já vou muito tarde. 













Comentários

  1. Ahahahahahah :-)
    Muito boa a descrição! Gostei especialmente das pernas pintadas, são ossos do ofício... Eles inventam brincadeiras, aprendem nomes que nunca na vidinha os ensinamos, envergonham-nos (sim o meu com 2 anos às vezes faz umas coisas também engraçadas nesse sentido) e acham-se donos deles próprios e dos outros :-)
    Ai, ai... Vida de mãe e filhos é mesmo isto!!! Peripécias atrás de peripécias, se bem que a parte das noites mal dormidas era dispensável...

    Beijinhos Marta*
    Uma boa quinta-feira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que fiquei todas as cores na consulta...,
      Boa quinta-feira e bom fim‑de‑semana !!!
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Fartei-me de rir :)) já me aconteceu andar assim também... por exemplo, com resíduos de fruta na camisola.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais lidas