Há dias assim..,

Há dias em que não me apetece brincar, nem fazer rir, nem cantar.

Há dias em que me apetece ver televisão confortavelmente sentada no sofá e não ouvir as cantorias irritantes e sempre iguais do Panda e da Xana Toc Toc. Porque há alturas em que quero ver o meu iPad sossegadamente sem o ter de disputar com uma criança ágil de 2 anos, ou poder ler um SMS no telemóvel sem agitação ou medo de que alguém mo tire da mão.

Há dias em que não me apetece dar o biberão de manhã e trazer um presente mal cheiroso, ou encharcar-me toda para dar um banho. Há dias em que quero mesmo comer aquele último pedaço do bolo que propositadamente deixei para o fim, mas terei que gentilmente o ceder a alguém mais guloso do que eu, ou que prefiro beber o meu chá com menos açúcar ou conseguir beber o café sem o entornar.



Há dias em que não me apetece responder aos milhares de porquês, ler em modo repeat sempre as mesmas histórias e ouvir os dinossauros a correrem-me pela casa. Há dias em que gostava de ter as almofadas no sítio certo, as gavetas fechadas e os livros arrumados.

Há dias em que gostava de ter mais de um minuto de silêncio no carro, ir à casa de banho sozinha, ter um bom e prolongado banho sem interrupções, não ter horários, conseguir deixar secar o verniz das unhas sem arranhar, fechar os olhos por mais de 5 segundos sem ter receio que algo aconteça.

Há também  dias em que nada disto me incomoda, mas há outros em que fico mais cansada. E felizmente a seguir a estes dias mais cansativos vêm sempre outros melhores e mais fáceis, e nós lá nos esquecemos do ontem.
Porque a seguir à Lua adormecer acorda sempre o Sol e aquece os dias mais frios e ilumina os mais cinzentos.

mais posts sobre Me&Us

Comentários

  1. Olá!

    Este texto está lindo e relata mesmo bem o que sentimos nalguns dias... É certo que nuns dias estamos super bem-dispostas e apetece-nos brincar com os nossos filhotes e aproveitamos o dia em cheio e há outros em que simplesmente queremos sossego e não gostamos menos dos nossos filhos por isso, apenas PRECISAMOS mesmo de sossego para bem da nossa sanidade mental e por vezes uma pausa faz bem e revigora forças para termos uma relação saudável connosco próprias, com o marido e filhos :-)
    Este texto é mesmo real e transparece mesmo o que por vezes todas as mães sentem (pelo menos eu sinto, acho que não somos as 2 apenas a sentir - não somos aberrações)...

    Beijinhos grandes Marta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que pelo menos somos duas!!!
      Beijinhos
      Marta

      Eliminar
  2. Diria que ontem poderia ter sido eu a escrever este texto... Há mesmo dias assim:)

    asmilfacesdalua.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Liliana, é verdade há dias mais complicados

      Eliminar
  3. Olá Marta!
    É mesmo assim! Por isso é que eu gosto tanto do teu blog, trata da maternidade de uma forma verdadeira, o que nem sempre acontece noutros blogues que só falam da parte boa.
    beijinho,
    Mariana Sampaio de Freitas

    ResponderEliminar
  4. Somos seres humanos e mães, mães e seres humanos. Adorei o seu texto. Às vezes apetecia-me ter um desabafo destes, apesar de amar a minha filha. Mas por aqui chovem críticas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por aqui também há críticas, mas enfim..... O importante é que sentimos todas igual e das mesmas formas. Ficar por vezes cansada dos filhos não significa que não há amor. Exprimente desabafar, nem que seja de forma anônima, vai lhe saber bem.
      Um grande beijinho e espero veê lá por cá (ainda que seja só à paisana).

      Eliminar
    2. Muito obrigada, Marta. A sério. Beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Mais lidas