3 “Skills” que todas as crianças deveriam ter



Claro que nem todas as crianças são iguais, há umas mais tímidas, outras mais extrovertidas, umas mais faladoras e outras menos. E nem sempre as crianças gostam de dar cumprimentar os adultos, ou gostam de dar beijinhos, ou de dizer adeus.
Cá em casa foi uma batalha difícil para que o João cumprimentasse as pessoas. No primeiro contacto, a sua timidez falava mais alto, mas depois de alguns minutos já se sentia confortável e começava a falar e a brincar espontaneamente. Por sua vez, o Tomás, diz olá a todos, e dá a mão a toda a gente. São dois opostos, criados na mesma casa, com os mesmos pais, e com as mesmas rotinas, regras e brincadeiras.
 Mas, então, tendo em conta todas as diferenças que as crianças têm, quais são os “skills” que devermos insistir e que os ajudarão durante a sua vida?
1. Contacto visual
Ensinar desde cedo a criança a manter contacto visual com outras crianças e adultos é fundamental para a sua vida toda. Através do contacto visual a pessoa mostra força, segurança, controlo e firmeza. Não queremos que os nossos filhos fujam ao contacto visual, que mostrem mais timidez, menos segurança e por vezes até medo.
No então há crianças que insistem em desviar o olhar, ou não manter o contacto por mais de 5 segundos. Uma boa maneira para contornar isto é fazer um jogo diariamente com a criança. Sentam-se os dois frente a frente, e durante 5 segundo não podem desviar o olhar um do outro. No dia seguinte aumentam para 7 segundos, e no próximo dia para 10 segundos. E assim sucessivamente até a criança se sentir confortável. Podem também alternar com o adulto que joga o jogo, um dia o pai, outro dia a mãe etc etc. 
2. Aperto de mão
Pode ser um bom substituto para as crianças que não gostam de dar beijinhos, mas pode também ser constrangedor para as crianças que não gostam muito de contacto físico.
Uma boa maneira para ultrapassar esta questão e ensinar a dar um aperto de mão, é transformar num jogo, em que a criança ganha se conseguir encostar e tocar a palma da sua mão à do adulto.
3. Ensinar a ter uma conversa
Nem sempre nos apercebemos que as crianças podem não saber como conversar. É algo automático para os adultos, pois usamos diariamente e com outros adultos, mas por vezes as crianças (especialmente as mais novas) podem não perceber como funciona esta dinâmica.
Uma boa maneira de ensinar como ter uma conversa é fazer um jogo com uma bola. Quem estiver com a bola na mão terá que fazer uma perguntar à outra pessoa, e esta terá que responder. No fim da resposta dada, a bola vai para a outra pessoa, e essa terá que fazer uma nova pergunta, e assim sucessivamente até a criança perceber como funciona.
Para “conversas” mais avançadas, podem continuar a dinâmica do jogo, mas sem bola. Iniciando assim a fluidez típica de uma conversa normal.



Ver mais posts sobre educação e desenvolvimento dos bebés e das crianças, ver aqui

Comentários

Mais lidas