Ultimamente

Devo dizer que não sei como conseguem as mães que não têm ajudas tratar dos filhos quando elas próprias estão doentes.
Como é que conseguem? Claro que o tem que ser tem mesmo muita força, e arranjamos forças onde nem sequer sabíamos que tínhamos, mas deve ser muito, mas, muito difícil. 


De uma infeção respiratória passou a um inicio de pneumonia, e cá estou eu a recuperar (mais lentamente do que gostaria). Surgiu assim do nada, nem sei bem como é que apanhei, mas sentia-me muito cansada, esquisita, com tosse, ora tinha calor, ora estava a tremer de frio, e dores no peito. Depois de análises e radiografias lá veio a confirmação e o tratamento. 

No inicio com medo que podia ser virica, os meninos foram para casa das avós, evitando assim a possibilidade de contágio e prevenindo problemas futuros. As avós, que diga-se de passagem, são tanto uma como outra, o meu braço direito, foram incansáveis nestes dias. E os meninos piolhos passaram lá umas mini ferias. (A primeira grande clarividência que tive foi esta.) Eles gostam de estar com as avós, adoram ir brincar, os miminhos, as comidas preferidas e atenção inesgotável, mas mesmo assim, o João, perguntou quando vinha para casa. (A segunda clarividência foi esta).
Até o médico confirmar que o período de contágio estava fora de risco, eles ficaram fora de casa.  

Quando regressaram, cheios de saudades, o Tomás começou com birras e não dormia como dantes. Se dantes era só preciso deitar-lo na cama, cobrir com os lençóis, dar um beijinho e dizer "até amanhã", agora só chora. Chora porque não quer dormir, chora porque quer o meu colo, chora porque sim, chora porque não. Os dentes também estão a nascer, e está a ter aqueles efeitos secundários todos que os pediatras dizem que não tem nada a ver- febre, rabinho assadinho, irratibilidade etc. 
Já o João também anda com as crises habituais de tosse dele, desta vez mais prolongada e acentuada, e o que deixaram muito abatido. 

Mas temos tudo algumas coisas boas nestes tempos, já começamos a ter um jantar verdadeiramente a 4. Já referi várias vezes que prezamos muito a altura do jantar, é quando contamos o nosso dia, falamos sem televisão e sem telemóveis. Até agora o Tomás jantava mais cedo e ficavas a ver-nos a jantar na sua cadeirinha enquanto que comia (sozinho) a sobremesa. Agora, com alguma dificuldade, pouca destreza e muita sujidade, janta sozinho ao mesmo tempo que nós. 

Já tenta dizer algumas palavras monossilábicas, mas que para bom entendedor meia palavra basta. Gosta de puxar o cabelo do irmão e já consegue (inexplicavelmente) trepar para cima de qualquer mobília, sofá e estante. Este rapaz promete! 

O João este fim‑de‑semana em casa de uma avó fez uma torre de legos "a maior torre do mundo", que agora recusa-se a deixar desfazer. Està tão orgulhoso da sua torre que chega (mesmo) ao tecto, que conta a toda a gente e mostra a fotografias. 

Admito que sei todas as séries que passam na televisão, especialmente na fox e é na fox Life, e confesso que tenho vindo pouco ao blog, muita coisa ficou por fazer, responder, publicar, e programas cancelados, muito Pinterest. Apesar do pouco apetite que tenho tido, orgulhosamente fiz o meu primeiro Crepe Cake (já publicado no instagram) e daqui a uns dias a receita será publicada. Não é para me gabar, e claro que tive ajuda no incio, mas estava muuuuiiiiiittttttoooooo bom!!!!!






Mais posts sobre Me&Us

facebook | instagram | google+| bloglovin 

Comentários

  1. Quando alguma coisa corre fora do normal, como ficarmos doentes, parece que as nossas rotinas descarrilam um bocadinho. Mas o que interessa é recuperar bem e aproveitar ao máximo as fases dos babies, porque eles crescem e não é pouco!
    Beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  2. Obrigada !! Já estamos quase a 100% (quase...). Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais lidas