Quando os bebés só querem um dos pais



Entre os 18 e 24 meses por vezes é normal que alguns bebés passem por fases em que só querem a mãe ou o pai. Deixam bem claro que será só aquela pessoa (mãe ou pai) que lhes irão dar de comer, mudar a fralda, dar banho ou deitar, ou para o colo que recorrem quando se magoam ou choram. É cansativo para o pai escolhido e muitas vezes triste para o outro.


Muitos pais ficam coma consciência pesada pois não sabem o que fizeram de errado, sentem-se tristes e rejeitados. Incertezas e medos instalam-se na cabeça do pai rejeitado, e temem que esta fase dure para sempre. Por sua vez, o pai que é escolhido sente-se mais cansado, absorvido e sem escolha.

Porquê é que o bebé prefere um dos pais?
Não se sabe ao certo a razão, apenas pode-se especular mas sem certezas definitivas (excepto em casos óbvios, como de divórcios, maus-tratos etc)
Por vezes é a maneira que o bebé encontra de mostrar que já é independente (dentro do âmbito da independência que se pode atribuir a um bebé). É a sua maneira de mostrar que sabe e consegue escolher e fazer decisões por só, como quando decide que quer determinado peluche o para dormir, ou beber pela sua própria  mão, ou brincar com aquele brinquedo específico. Pode também ser por questão de familiaridade da rotina, se é sempre a mãe a fazer certa tarefa então certamente irá preferir que seja a mãe a fazê-lo novamente.

O que é necessário saber?
É difícil não se sentir excluído ou rejeitado quando não somos o pai escolhido, ou mesmo sentir culpados (ou até mesmo convencido) quando somos o pai escolhido.
Brincar aos escolhidos é normal nos bebés, e não significa que somos maus pais ou que não amamos o nosso bebé. É uma fase, que pode durar algum tempo, mas também de um dia para o outro para virar e afinal passamos de escolhido a rejeitados e vice-versa.
É importante saber que esta fase não está relacionada com o facto de o bebé não amar o pai receitado, mas sim pretende-se com factores emocionais e cognitivos do desenvolvimento do bebé.


O que fazer quando o bebé prefere um pai?
Primeiro é imperativo lembrar que é uma fase, e que tal com as outras fases passadas (e ultrapassadas) esta também irá passar. Mas há algumas coisas que se pode tentar fazer para inverter a situação:

·         O pai escolhido pode começar a incluir o outro pai nas tarefas, como por exemplo " vamos os três mudar a fralda", ou " a mãe dá uma colher, e depois o pai dá outra". Englobe o outro pai de mentira a que o bebé sinta e veja os dois a fazerem as mesmas tarefas, e em pé de igualdade.

·         Dê espaço ao pai rejeitado: o pai escolhido pode ir fazer recados, almoçar fora, ou passear, para dar espaço ao pai rejeitado em casa. Deixe os dois, pai e filho, em casa sozinhos para se entenderem e para que o pai rejeitado consiga reconquistar o bebé sem estar em desvantagem ou com concorrência elevada.

·         O pai escolhido pode mostrar ter menos tempo disponível e assim o pai rejeitado pode ser ele a fazer as tarefas do bebé.

·         Dê atenção, mimo, brincadeira. Os bebés precisam de muita atenção e muita paciência. Sentem quando não têm a nossa atenção a 100%. Para isso também precisa de espaço, e tempo para os dois desenvolverem uma relação mais próxima.

·         Crie rotinas só entre pai /bebé, passeios no parque, brincadeiras, jogar a bola. Rotinas que ajudem a fortalecer a ligação entre ambos e que sejam só vossas.

·         Dividam responsabilidade. Não pode ser sempre o mesmo pai que é o "mau", que diz o não, que obriga a comer ou não deixa fazer certas coisas. Dividam as responsabilidades, e deixe o pai rejeitado fazer o papel de "bom" mais vezes.


·         Se o bebé já for uma criança que entende e fala bem, (crianças acima dos 3 anos) tente falar com ele, e mostrar o outro lado. Tente explicar-lhe " não ias gostar se o papá só quisesse a mamã, ficavas triste não ficavas? O papá também não gosta e fica triste...."

O mais importante é por muito que custe é não deixar de tentar e não desistir. Não se sinta rejeitado nem triste, nem deixe que isso o afaste do bebé. Tente por estar sempre presente para que o bebé sinta a sua presença.

 Há muitos sites de chats e fóruns na net de pais e mães que desabafam situações como estas.


Ver mais posts sobre educação e desenvolvimento dos bebés e das crianças, ver aqui

Comentários

Mais lidas