Famílias à distância | Grupo

                       
                       
Andei preguiçosa com este tema e descuidei-me. Deixei o tempo passar e caiu no esquecimento.
I'm sorry.

Mas já está criado, tal como prometido e muito esperado. Um grupo onde se poderá falar, ouvir, desabafar e partilhar, o que de mau e de bom lhes apetecer. Um grupo pensado para as famílias à distância, para dar um aconchego nas alturas mais precisas.

Convido a todas mães e pais a serem membros.


Para entrar no grupo basta enviar um mail ou seguir este link
 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O agradecimento, a explicação, e o convite
Para hoje tinha agendado publicar um outro post, mas na realidade não consigo. Não consigo porque desde do dia de ontem, da noite, e do dia de hoje que recebo emails e mensagens por causa desta crónica. Li todas e fiquei a pensar em todas.

Li todas, tentei responder a todas ( sei que ainda faltam algumas), e senti tudo o que disseram. Na verdade não estava a espera de tanta reacção, de ter tantas mães a relatarem situações idênticas a da crónica, momentos difíceis que ultrapassaram, desabafos abafados durante tanto tempo.

E por isso obrigada! Obrigada por confiarem com os vossos desabafos, com a vossa vulnerabilidade e empatia. Por vezes escrever torna-se mais complicado quando não sabemos quem nós lê, nem como nos lêem. E apesar do tema ser duro, fico muito contente por ter tocado em tantas (mas tantas) mamãs.
Mães que me confessaram que até uma ou outra lágrima derramaram ao ler a crónica e ao se reverem em todas as palavras. Não me sai da cabeça.

Muitas perguntaram por mim, por nós. Durante uma temporada o meu marido passava dois a três dias da semana fora. Tenho imensas ajudas, felizmente e graças a Deus  tanto a minha mãe como a minha sogra são incansáveis, portanto isso ajudou ( e muito). Mas a temporada foi grande, e eu sentia que não podia estar sempre a "pesar" nos outros, e que me tinha que segurar nos meus dois pés ( e com os dois filhos).  Admito que houve alturas mais difíceis do que outras. Mas também nem tudo foi mão, houve momentos a 2 e a 3 que foram muito bons!!!

Convido todas as mães que vivem à distância, todas as mães que estão na fase de tomar tal decisão ou que ponderam tal hipótese a participarem numa rubrica nova - famílias à distância - aqui no blog, com testemunhos sinceros e transparentes sobre a suas realidades. Basta enviar um mail com o seu nome e localidade, e eu responderei.

Obrigada

Comentários

Mais lidas