Os dentes e os sintomas


Uns dizem que é mito, os pediatras dizem que não há relação entre, mas o que é certos é que muitas mães se queixam (e desesperam) dos pesadelo dos dentes a nascer. 
É certo que cada bebé é diferente, e que há crianças nada (ou pouco) sentem com os dentinhos a furar. Mas na sua grande maioria, muitas crianças sofrem e alteram os seus hábitos quando têm dentes a querer romper. 

Pediatras (e dentistas) dizem que não relação directa entre o nascimento do dentes e os sintomas frequentemente descritos pelas mães, apenas afirmam que o sistema imunitário do bebé está mais fragilizado e então mais vulnerável a apanhar uma ou outra virose. Mesmo antes de nascerem, os dentes fazem com que as gengivas do bebé inchem e fiquem doridas, causando irritação e noites mal-dormidas. O nascimento dos dentes pode também causar um aumento da baba. 
O surgimento dos dentes ocorre mais ou menos aos 6 meses de idade e os primeiros a aparecer são os incisivos centrais inferiores. Depois aparecem os incisivos centrais superiores, seguido pelos incisivos laterais inferiores. Por volta de 1 ano e meio surgem os incisivos laterais superiores. Então começa a erupção dos dentes mais posteriores como os primeiros molares, os caninos e os segundos molares.

Aos 3 anos, o bebé terá todos os dentes de leite. Ao todo, são 10 dentinhos na arcada de cima e 10 na arcada de baixo. Não é de ficar preocupada caso o bebé tenha um ano e ainda não ter nenhum dente, pois pode haver um atraso de até 8 meses.



Pode acontecer casos de bebés que nascem com dentes. Esses dentes são chamados de dentes natais. Algo normal. Os dentes que aparecem nas primeiras semanas de vida são chamados de neonatais.
Os sintomas podem começar a surgir cerca de um mês antes do nascimento dos dentes. E agravar-se caso estejam dois ou mais dentes a querer romper.

Quais os sintomas que podem ser esperados:

·         Irritabilidade
·         Face quente
·         Gengivas inflamadas
·         Vontade de morder em objectos
·         Perda de apetite
·         Dormir mal
·         Recusar a mastigar alimentos sólidos
·         Febre
·         Otites
·         Assadura no rabinho
·         Diarreia

Como aliviar o mal-estar do bebé?

Experimente esfregar o dedo limpo nas gengivas do bebé. Pode também dar-lhe um pano macio, fresco e húmido para morder.

Ou então um anel de dentição ou brinquedo de dentição – se o colocar no frigorífico ou no congelador por alguns minutos, o efeito apaziguador será maior. Consulte o pediatra antes de dar qualquer medicamento ao bebé.

Os analgésicos orais podem proporcionar um alívio temporário às gengivas do bebé mas podem também interferir com os seus reflexos ou causar uma reacção alérgica. Nunca dê aspirina ao bebé nem esfregue nas gengivas do bebé.

Tratar o cieiro causado pelos dentes:

Se o queixo e o lábio inferior do bebé estiverem muito vermelhos, é porque a baba permanente está a irritar a pele. Limpe suavemente (não esfregue) a baba com um pano de algodão e aplique vaselina na área afectada antes de o bebé adormecer.



Evitar problemas futuros:

O aparecimento dos dentes marca a necessidade de começar a pensar numa boa higiene dentária. O pediatra irá provavelmente examinar os dentes novos. Alguns especialistas aconselham a utilização de um pano húmido ou gaze para limpar as gengivas e dentes do seu bebé duas ou três vezes por dia, embora se não o fizer, isso não prejudicará o bebé de forma alguma. 

mais informações:
http://www.abcdobebe.com/os-primeiros-dentes/os-primeiros-dentes-do-seu-bebe-2.

foto: pinterest

Para mais posts relacionados com a saúde dos mais pequeninos, ver aqui
 

Comentários

  1. O nascimento dos dentes nas crianças são momentos atribulados. Se a nós, quando nos dói um dente é um suplício, imaginemos como não deve ser nas crianças. O seu post alerta-nos e ajuda-nos a prepararmo-nos. E, assim que pudermos acho que não devemos dispensar, apenas por prevenção a visita a um dentista especializado em odontopediatria porque as nossas crianças devem começar desde cedo a higiene oral, criar hábitos e prevenir problemas futuros.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais lidas