Terrible 4's | Parte II

aqui tinha falado dos Terrrible 4´s e das tão ditas e tão ouvidas frases como "Não gosto mais de ti" e "Não sou mais teu amigo". Aliás, penso que passei o verão  inteiro a ouvir isso e a tentar lidar com os Terrible 4's,

O João entrou nos 4, idade bem caracterizada pela tentativa de se auto-afirmar e impor a sua vontade. Como também sempre foi um pouco do contra, aproveita todas as ocasiões para mostrar que sabe o quer, e normalmente o que quer nunca é o mesmo que a Mãe e que o Pai querem.

Gostei muito do post anterior e não só descreveu bem o meu reguila, como tambem deu alguns insights em como o perceber melhor. Assim, fui novamente   ao blog da Olga, retirar a segunda parte dos Terrible 4's.


4 anos - comportamento - parte II


Aprender a portar-se bem

Lidar com o comportamento da criança é um dos maiores desafios de ser pai. Para a criança aprender a portar-se bem, é preciso guiar o seu comportamento de forma positiva.


Dar instruções claras: Os pais devem garantir que a criança está a ouvir, dar a instrução de forma afirmativa ("Despe o pijama" em vez de "Podes despir o pijama?"), assegurar que a criança consegue seguir a instrução ("Despe o pijama, agora veste a camisola..." em vez de "Veste-te") e garantir que cumpre, relembrando-a.
Dar atenção e ouvir: Quando a criança fala ou se porta bem, os pais devem mostrar que estão atentos: aproximar-se da criança, observar, olhar nos olhos, sorrir e comentar as coisas que está a dizer e a fazer.
Dar o exemplo: A criança faz o que vê fazer. Se quer ouvir "por favor", diga.

Elogiar e premiar: Devem elogiar e premiar os comportamentos adequados. Os elogios devem dirigse para os comportamentos positivos e não apenas para os comportamentos perfeitos. Para ser mais eficaz, devem descrever o comportamento ("Gosto muito quando partilhas os carrinhos" em vez de "és um menino lindo"). Também podem premiar a criança com uma história, um passeio ou uma brincadeira juntos ("Como te vestiste depressa, podemos ir ao parque").


Evitar comportamentos desadequados

Reduzir a tentação: Retirem objectos proibidos do alcance da criança.


Escolher as batalhas: Guardem o NÃO para coisas mesmo importantes.

Dar escolhas: "Não podemos ir ao parque mas podemos fazer um desenho ou ler uma história. O que preferes?"

Estabelecer regras consistentes: A criança deve antecipar o que pode e não pode fazer ("Não se bate").

Manter rotinas: Saber o que acontece a seguir ajuda a criança a organizar-se.


Preparar transições: "Daqui a um bocadinho vamos tomar banho".



Desencorajar comportamentos desadequados


Distrair: Devem lembrar à criança a regra ou dar uma instrução ("Não se salta no sofá") e dirigi-la para outra actividade ("Podemos saltar no chão").
Ignorar: Se a criança está a chamar a atenção mas não está a fazer nada de perigoso, podem afastar-se, não olhar nem falar com ela e esperar que pare.
Tempo de sossego: Se a criança não consegue parar, podem dar-lhe tempo.
Escolher um canto da casa ou uma cadeira, afastando de outras pessoas e sem distracções - a criança não deve poder brincar ou entreter-se;
Usar um tom de voz calmo e explicar "Estás muito nervoso. Precisas de te acalmar";
Se a criança recusar ir, conduzi-la ao local do tempo de sossego;
O tempo de sossego deve durar um minuto por cada ano de idade;
Durante o tempo de sossego, devem ignorar a criança;
Quando o tempo passa, oferecer uma actividade divertida "Já estás mais calmo, podemos ir fazer bolas de sabão". Não dar sermões.
Consequências: Podem atribuir uma sequência relacionada (Se não bebe água sossegado e entorna, tem de limpar) ou retirar um privilégio (Se bate no irmão não vê TV à tarde).



ver a parte I aqui 
onte: Baby Center, Pais e Filhos, Mimosa, Desenvilvimento do Bebé
foto: pinterestt

nota: mais artigos relacionados com comportamentos e idade ver aqui.  
Ver mais posts sobre educação e desenvolvimento dos bebés e das crianças, ver aqui
Para mais posts relacionados com a saúde dos mais pequeninos, ver aqui

Comentários

Mais lidas