Meio(s) pingo(s) de gente

Foram as primeiras grandes férias de nós os 4 juntos. O ano passado quando o Tomás nasceu não fomos de férias pois ele ainda era muito pequenino e eu não me sentia á vontade em ir a lado algum. Temos passado alguns fim‑de‑semanas fora, os 4, mas nunca muitos dias seguidos pois tínhamos sempre que regressar. Assim, este verão, com 3 semanas pela frente de sol e praia, fiquei na expectativa de como iria correr. Sem as rotinas de casa, sem as comidinhas de casa, o escuro do quarto, o silencio das sestinhas, pensei que muita coisa poderia correr mal.

Com o meu primeiro filho, nas suas primeiras ferias de praia, acho que levei tralha a mais e compliquei o que não era necessário complicar. Desta vez decidi simplificar e aderir á "praticalidade". Até porque com a mala do carro cheia e malas para três semanas teria mesmo que deixar algumas coisas para trás. 

A minha "praticalidade" começou logo com a minha mala, que numa onda de irracionalidade deixei metade (ou mais) roupa que deveria ter levado, e só me apercebi quando já lá estávamos. De facto, o João pai quando fez a sua mala elogiou bastante o muito espaço que tinha só para ele ( é um grande defensor do pack light), pelo que deveria logo ter desconfiado e alarmes deveriam ter disparado na minha cabeça. Mas não, fui mesmo com uma mala muito light. 

O mini meio pingo de gente adaptou-se bem ao seu novo ambiente. Dormiu sempre no nosso quarto, o que muitas vezes acordava quando eu me ia deitar , e obrigávamos-nos a a acordar logo que a luz entrava no quarto - sim porque lá para baixo persianas é algo que ainda não foi inventado. Mas depois de um biberão e um "ó ó Tomás" ainda dormia mais uma horinha que confesso que me sabia pela vida. 
Tentei normalizar as suas rotinas o mais parecido com as que estava habituado, dormir no fim de almoço ( se bem que o almoço era mais tarde do que costume), e ir para  a cama no fim de jantar. Lanche a meio da manhã, seguido de uma variante nova , a bola de Berlim. Claro que não comia uma inteira mas provava da minha e adorava. Algo que com o primeiro filho não tinha feito....

Como disse não levei comidas do Tomás, as comidas que são iguais ás nossas, mas com a carne/peixe mais esfiado e o arroz mais empapado, para serem fáceis de comer e mastigar, ficaram em casa. Começou a comer literalmente o que nós comíamos, sem arroz ou massa mais cozida, mais desfeito. No inicio estranhou, e decidiu que não ia comer arroz "normal". Decidiu também que só comia metade da sopa e o resto vinha para fora. Não foram refeições fáceis, porque nunca há um teimoso só, há sempre dois. A estratégia inicial passava por dar primeiro a carne/peixe e depois a sopa. Correu mal. Depois decidimos que se tivesse muita fome comeria melhor, então reduzimos ao lanche da tarde e anulamos o lanche da manhã. Correu melhor, mas aqui o meio pingo mini tomou uma decisão estratégica de não engolir o arroz. Carne/peixe sim, arroz sem duvida que não. Teimoso e teimosa cada qual insistia mais para o seu lado. Choro. E mais choro. Quase a desistir, reparamos que sem notar o mini meio pingo de gente comia o arroz distraído. Safado. Malandro. E no fim de comer o arroz que tanto rejeitava foi roubar o do irmão. 
Esta proeza ainda se estendeu por algumas refeições, e quando já acabava que tudo tinha voltado ao normal aqui o sr Tuta relembrava que (ainda) tinha voto na matéria. 

Uma outra decisão estratégica decidida pelo mini pingo foi gatinhar e não andar. Para quê andar quando posso gatinhar (e com grande velocidade) para todo o lado? Decididamente não quis andar, não quis ter trabalho e cansar-se. Também decidiu que não dá mais beijinhos. 
Mas o grande grande statement do mini pingo foi chorar com beicinho digno de fotografia quando a mãe não faz o que o sr quer. Aí sim, beicinho, choro retido, mãos na cabeça, cabeça no chão e sinal de desgosto profundo e por fim um choro triste e sineiro de indignação. 
O mini pingo já quer mandar!

O meio pingo grande devo dizer que se portou bem, tendo em conta a sua idade. A frase do verão foi "não sou mais teu amigo" e "és feio" ao qual diziam em alto e bom som varias vezes ao dia e em qualquer situação. Felizmente tudo passava com muita rapidez e num piscar de olhos já todos eram amigos do peito novamente. 
Era importante a sesta á tarde, pois nos dias que não dormia. O jantar acabava por ser mais difícil e as birras apareciam em relâmpago. 
Este meu meio pingo esta loirinho loirinho, e moreninho!! Esta uma delicia! E quando eu o ia acordar á tarde, no meio do miminho perguntava -me " estas a gostar das férias? Tens brincado muito?" De manhã, lá me aparecia no quarto, meio ensonado, deitava ao meu lado, mãos dadas, e mais umas horinhas de soninho pela frente. Não sei quem gostou mais , ele ou (decididamente) eu!!!

Reparei que o seus calções de banho estão todos largos. Isto porque o meio pingo cresceu, esticou, e não engordou!! Mesmo assim os calções da MIM fizeram sucesso na praia, e os da Boneca de Sabão fez as delicias das avós!! Mesmo com o rabiosque mais á mostra, o Jr espalhava charme pela praia (ehehehehehhehe). 

Mas nem tudo foram sucessos. Dois flops, da responsabilidade e ingenuidade daqui da mamã. O primeiro flop, pulseiras anti enjoo. Sim, acreditei que fosse possível funcionar. Sim, claro, não funcionam. 
Segundo flop, pulseiras (yes again) contra os mosquitos. Não me querendo alongar muito sobre o tema sob o risco de cair na palermice, apenas confirmo que não funcionam (também). 

Comentários

  1. Parece que me revejo aqui nalgumas coisas! Mas há que pensar positivo: as próximas férias serão ainda melhores...pena faltar ainda tanto tempo... :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais lidas