Não gosto mais de ti | Não sou teu amigo | Terrible 4's

Kid photography ideas. Tipping the hat. 4 year old photography.
Ultimamente o João tem dito muito cá por casa " não gosto mais de ti", ou " não sou eu amigo", quando alguém  faz algo que não lhe agrade, ou vá contra a  sua vontade.

No inicio achei que era por causa do Tomás, aliás quando algo sai fora da "normalidade" penso logo que são ciúmes. Mas depois comecei a ver as mesmas frases e as mesmas atitudes nos filhos das minhas amigas com mais ao menos a mesma idade. Pensei, vá lá, deve ser da idade.

Encontrei este post no blog que sigo O Rei Vai Nu, e após ter lido, achei mesmo que se estavam a referir ao João, ao meu João cá de casa. Ajudou-me a perceber algumas coisas melhores e deu-me alguns truques. Mas o que mais gostei, foi ver que já eu fazia algumas das coisas sugeridas!!!



Assim, achei interessante partilhar o post na integra, na expectativa de que as mamãs de meninos\as de 4 anos também possam se identificar e tal como eu compreender um pouco melhor o que se passa dentro das suas pequeninas cabecinhas.....

Cá vai...


4 anos - Comportamento - parte I



"Não sou mais teu amigo!"

A criança de 4 anos percebe muito melhor o mundo. Está mais atenta ao que se passa à sua volta, quer agradar aos outros e está mais sensível aos sentimentos dos outros. Contudo, nem sempre consegue lidar bem com as suas próprias emoções. Quando fica frustrada ou zangada, pode dizer palavrões, bater, fazer birras ou a resistir a fazer o que lhe pedem. Os pais precisam de guiar a criança de forma positiva para que aprenda a portar-se bem.



Do que preciso?

Os primeiros anos de vida são essenciais para a saúde, desenvolvimento e bem-estar da criança. Os 4 Rs são essenciais: Relação, Rotinas, Regras e Recompensas. Vamos discutir como ensinar a criança a portar-se bem usando os 4 Rs.

Relação - Os pais devem dar atenção à criança quando se porta bem: parem, aproximem-se, observem, escutem e comentem o que a criança está a fazer.

Rotinas - Os pais devem preparar a criança para transições ("Quando terminarmos este puzzle, vamos tomar banho") e para os desafios ("Vamos ao supermercado, mas não vamos comprar nenhum brinquedo").

Regras - Os pais devem estabelecer regras claras sobre coisas importantes, como segurança ("Temos de pôr o cinto para andar de carro"), forma de tratar os outros ("Não se bate").

Recompensas - Os pais devem elogiar e encorajar frequentemente os comportamentos positivos da criança ("Boa! Calçaste os teus sapatos sozinho!").


Como é ter 4 anos?

A criança percebe melhor o mundo, os outros e a si própria. Aceita melhor os limites, mas nem sempre os consegue respeitar. Também conhece melhor as emoções, mas nem sempre sabe lidar com elas. Em muitas situações, pode ficar zangada ou furiosa. Os pais devem reconhecer que a criança está zangada, mas ensinar-lhe que há truques para mandar a fúria embora - "Sabes o que podemos fazer quando estamos zangados? Experimenta..."
  • Respirar fundo
  • Pensar em coisas boas
  • Conversar sobre o que aconteceu
  • Fazer um desenho
  • Correr ou bater com os pés

Ideias para brincar

Brincar ajuda a criança a aprender competências sociais importantes, que contribuem para tornar o seu comportamento mais adequado. A criança aprende a partilhar, esperar a sua vez, cooperar, seguir regras, resolver problemas. Nesta idade, brincar com outras crianças da mesma idade é essencial.

Brincar com amigos
  • Bolas e espaço livre
  • Roupas e acessórios para disfarces
  • Puzzles e jogos de mesa
  • Lápis, canetas, tintas, cola, tesoura, papel, plasticina para obras de arte
  • Caça ao tesouro

Uns minutos de brincadeira com os pais todos os dias
  • Converse com a criança sobre formas de resolver problemas.
  • Jogos de regras: jogue com a criança (loto, dominó) e gozem o momento. Não se aborreça se a criança ficar furiosa por perder.
  • Sem cair no charco: disponha objectos pelo chão. A criança tem de passar de uns para os outros sem tocar com os pés no chão.
  • Adivinha como me sinto: um faz uma careta e outro adivinha.

    4 anos - comportamento - parte II


    Aprender a portar-se bem

    Lidar com o comportamento da criança é um dos maiores desafios de ser pai. Para a criança aprender a portar-se bem, é preciso guiar o seu comportamento de forma positiva.

    Dar instruções claras: Os pais devem garantir que a criança está a ouvir, dar a instrução de forma afirmativa ("Despe o pijama" em vez de "Podes despir o pijama?"), assegurar que a criança consegue seguir a instrução ("Despe o pijama, agora veste a camisola..." em vez de "Veste-te") e garantir que cumpre, relembrando-a.

    Dar atenção e ouvir: Quando a criança fala ou se porta bem, os pais devem mostrar que estão atentos: aproximar-se da criança, observar, olhar nos olhos, sorrir e comentar as coisas que está a dizer e a fazer.

    Dar o exemplo: A criança faz o que vê fazer. Se quer ouvir "por favor", diga.

    Elogiar e premiar: Devem elogiar e premiar os comportamentos adequados. Os elogios devem dirigir-se para os comportamentos positivos e não apenas para os comportamentos perfeitos. Para ser mais eficaz, devem descrever o comportamento ("Gosto muito quando partilhas os carrinhos" em vez de "és um menino lindo"). Também podem premiar a criança com uma história, um passeio ou uma brincadeira juntos ("Como te vestiste depressa, podemos ir ao parque").

    Evitar comportamentos desadequados

    Reduzir a tentação: Retirem objectos proibidos do alcance da criança.

    Escolher as batalhas: Guardem o NÃO para coisas mesmo importantes.

    Dar escolhas: "Não podemos ir ao parque mas podemos fazer um desenho ou ler uma história. O que preferes?"

    Estabelecer regras consistentes: A criança deve antecipar o que pode e não pode fazer ("Não se bate").

    Manter rotinas: Saber o que acontece a seguir ajuda a criança a organizar-se.

    Preparar transições: "Daqui a um bocadinho vamos tomar banho".


    Desencorajar comportamentos desadequados

    Distrair: Devem lembrar à criança a regra ou dar uma instrução ("Não se salta no sofá") e dirigi-la para outra actividade ("Podemos saltar no chão").

    Ignorar: Se a criança está a chamar a atenção mas não está a fazer nada de perigoso, podem afastar-se, não olhar nem falar com ela e esperar que pare.

    Tempo de sossego: Se a criança não consegue parar, podem dar-lhe tempo.
    • Escolher um canto da casa ou uma cadeira, afastando de outras pessoas e sem distracções - a criança não deve poder brincar ou entreter-se;
    • Usar um tom de voz calmo e explicar "Estás muito nervoso. Precisas de te acalmar";
    • Se a criança recusar ir, conduzi-la ao local do tempo de sossego;
    • O tempo de sossego deve durar um minuto por cada ano de idade;
    • Durante o tempo de sossego, devem ignorar a criança;
    • Quando o tempo passa, oferecer uma actividade divertida "Já estás mais calmo, podemos ir fazer bolas de sabão". Não dar sermões.

    Consequências: Podem atribuir uma sequência relacionada (Se não bebe água sossegado e entorna, tem de limpar) ou retirar um privilégio (Se bate no irmão não vê TV à tarde).




foto: Henderson Lewis via Pinterst
nota: mais artigos relacionados com comportamentos e idade ver aqui.  
Ver mais posts sobre educação e desenvolvimento dos bebés e das crianças, ver aqui

Comentários

Mais lidas