As nossas brincadeiras

Recebi um email de uma mãe que lê o meu blog e que também ela tem dois meninos, mas são gémeos de 3 anos. Esta mãe perguntou-me quais os jogos que fazia com o João, quais as brincadeiras, e o que nós partilhávamos. Com dois meninos nesta idade a mãe sentiu-se que se perdia e não sabia o que brincar com os meninos.

Apercebi-me que apesar de tentar falar um pouco sobre tudo o que faço (bom e mau) com os meus dois, nunca tinha falado sobre as nossas brincadeiras. Apercebi-me também que havia outras mães que estavam a sentir o que eu já tinha sentido antes, o de como estabeleço uma ligação profunda com o meu menino.



A idade dos 3 anos, e sobretudo depois de irem para escola, transforma os meninos em pequenos rapazinhos e deixam assim de serem bebés. Começam a ser mais autónomos, a querem ser independentes, e a desalargar o cordão umbilical. O idólo era o pai, queria fazer tduo como e com o pai. Confesso que me custou sentir que ele já nao precsiava tanto de mim, e que eu precisava cada vez mais dele. Com os 3 anos chegou também  a fase das lutas, dos carrinhos  e camiões e das corridas, da força, dos saltos e da necessidade grande de ter espaço e de correr. Ahhh e o futebol!

Tenho irmãos mais novos e sempre convivi com carrinhos, pistas, carros telecomandados e aviões. Mas mesmo assim não ganhei nenhuma afinidade com estes brinquedos e sempre achei as brincadeiras dos meus irmãos um bocado infantis e sem piada.

Quando o João foi para a escola, deixei de ter um menino bebé para ter um menino já crescidinho. Começaram também os desenhos animados que eu chamo de "feios" ( gormitis, scan 2 go etc) e uma excitação por lutas. E o futebol - o que detesto . Obviamente que a ligação com o pai fortaleceu imenso, e quase sem reparar tinham conversas de gostos em comum e horas a brincar com comboios e carros. E eu? O que faço? Como brinco com ele a algo que ele goste e que eu goste também? Esta altura foi mais ou menos logo após oTomás ter nascido, e portanto senti mesmo a necessidade de passar mais tempo com o João, só eu e ele, e a fazer o que ele gostava.

Não acredito em passar tempo com os meus filhos só por passar tempo, faço um esforço para estar 100%presente, sem distracções. Focar ao máximo nele, em que a qualidade supera a quantidade  de horas.
Então comecei a pensar.

Gosto muito de pintar, e de tudo o que envolva desenhar, cores, tintas, plasticina ( agora diz-se barro de moldar) etc. Então arranjei espaço no seu quarto e fomos ao ikea comprar uma mesinha pequenina e 2 cadeirinhas. Arranjei uma caixa de plástico grande, a chamada caixa das pinturas, e comprei aguarelas, cartolina, lápis de cor, réguas, brilhos, tesoura de criança, caderno de cores e vários tipos de papel. Um copinho para a agua, toalhas velhas para limpar e sacos do lixo abertos ao meio para proteger. Começamos por fazer desenhos e notei que ele gostava imenso. Depois sempre que via material infantil para pintar comprava e experimentava com ele, carimbos, esponjas e tinta, barro para pintar etc. Descobri também uns moldes em areia pintada fantásticos - e que sujam tudo e todos! De uma caixa de pintura passei a ter duas caixas e uma gaveta. Um verdadeiro estúdio de pintura!
O João fica muito orgulhoso com as suas obras primas, portanto e para dar a importância devida, colei por brincadeira no espelho da minha casa-de-banho. Adorou! Agora temos sempre uma obra de arte na casa-de-banho e já se espalhou para uma parede do lado.
Este foi um elo em comum.

Mas tinha que arranjar outros.
Puzzles! Sim, puzzles e legos. Adora e eu aprendi a gostar também. Com os puzzles fazemos corridas um contra o outro e ele deixa-me ganhar. Com os legos construímos a casa da avó, dos tios e a escola. Estimula a criatividade e o tempo passa a correr.

Mas senti que não era suficiente, queria mais.
Então lembrei-me, música. Gosto muito de ouvir música e se possível quanto mais alta melhor ( os vizinhos ainda não se queixaram, são pessoas educadas que sofrem em silêncio, mas só posso fazer isto quando o meu marido não está em casa..). Ouvimos os dois música alta e dançamos, saltámos e caímos ao chão e cantámos desafinadamente. Ultimamente o Tomás tem-se juntado a nós, passámos a trio ( e os vizinhos devem agradecer pois a música passou a ser mais baixa). O João gosta muito da música dos Azeitonas dos "aviões ". Claro que já fui ao iTunes comprar, entre outras, como a do t2 do milleninium.

Mais recentemente tenho aderido ás lutas, se bem que continuo a não achar piada nenhuma, mas o João pensa que tenho a idade dele e adora. Vou-te ganhar, olha a minha força, vais cair, és fraquinha!

Pode não ser muito, mas é forte e são coisas que só faz comigo e isso para mim já é muito bom. Apercebi-me também que tenho um lugar definido na cabeça dele, "o papá joga bola e cromos, a mamã é para os dói - dóis, doentinho, festinhas e pintar . E arranja roupinha, papinha que gosto e coisinhas boas".

Não sei se ajudei, mas esta é a minha experiência. E até agora tem resultado bem.



Comentários

  1. E mesmo assim Marta! Parabéns pelo seu blog.. Nao sei o que se passa mas nao consigo responder aos seus comentários no meu blog... Um bj Ana

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mais lidas