A Vila Natal

Como prometido é devido, vou então contar a nossa aventura á Vila Natal.
Confesso que as expectativas eram altas, o entusiasmo e a excitação também, o que não deve ter ajudado muito.

Lá partimos no dia 26, , com a mala do carro cheia entre carrinho, malinhas e saquinhos, sopinhas e agua fervida, gorros para o caso de estar frio, brinquedos para os mais novos e ipad para os mais velhos.

Almoçamos na Figueira da Foz e fomos comer a sobremesa a gelateria Emanha, perto do Casino ( acho eu) . Os gelados segundo dizem são muito bons, eu não provei, mas todos eram unanimes no veredict!

Depois lá seguimos nós, rumo á confusão .

Chegámos ao hotel e os meninos foram logo para a piscina ( devo dizer que a menina mais velha tinha 6 anos e o mais novo, o T, com 5 meses - e ficou a dormir no quarto do hotel).
Decidimos ir jantar á Vila, dento da muralhas. Estava muito giro, um ambiente muito natalício, lindas iluminações, frio, velinhas, e música a tocar nas ruas estreitas. Fomos jantar a um restaurante recomendado pelo hotel, Tasca Torta. Pequenino e estreitinho, difícil para um carrinho de bebé entrar e passar. Mas a comida era ok e o serviço bom. Claro que a certa altura o T fez um presente ( ainda bem, pois já tinha sido um filme na bomba de serviço , e ele ainda não tinha feito nada) e foi uma bela ginastica mudar a fralda num sítio improvisado. Depois caiu um copo de cerveja nas calças do J - que , curiosamente, ou fez cerimónia, não se queixou - e por ultimo os copos com vinho tinto também chegaram a tombar. foi um jantar giro, e um passeio pelas ruas muito agradável. Ainda provei uma gininha num copinho de chocolate.

Já no dia seguinte, lá fomos para a Vila Natal. Uma fila de carros grande e um dia óptimo com muito sol e pouco frio. E muita gente. Gente por todo o lado, nas ruas, dentro das lojinhas, fora das lojinhas, parados, a andar! Pessoas! Muitas pessoas!

Vimos que os estrangeiros mal viam um carrinho de bebé desviavam-se imediatamente, já os portugueses ... E era mesmo difícil tentar passar com o carrinho por entre as pessoas e a rua muito estreita. Lá chegámos nós a entrada da VN. Pagamos o bilhete, e entramos. Ainda mais pessoas, pessoas e mais pessoas ainda. (claro, o que esperava eu???!)

Por esta altura já o T estava a resmungar com fome, e os meninos também. Então, decisão estratégica: voltar para trás, almoçar e depois regressar.

E arranjar restaurante para 7 pessoas e um carrinho? Complicado! Depois da mais malabarismo para dar a sopa ao T, que ficou ( e eu tb) salpicadissmo de sopa e pêra por toda a roupa, cabelo e cara, fomos sentar-nos. Os 7, mais um carrinho, numa mesinha de 4. Ginastica, paciência e mais ginastica.

Por fim voltámos a VN e os meninos adoraram! O J viu uma Bruxa e um Rato, e claro foi logo puxar-lhe o rabo. As meninas queriam ir para a pista de gelo, mas era uma fila enorme. Andamos de carrossel , e vimos alguns dinossauros, escorregas , e balões .

Em conclusão, achei que a publicidade feita a volta da VN está muito muito bem feita, e as estruturas existentes não são suficientes para tanta gente e tanta confusão. Mas o mais importante foi que os meninos gostaram imenso e só por isso valeu a pena! Eu, agora penso, que fui ingénua ao pensar que ia ser mais pacifico.

Já hoje de regresso, perguntei ao J o que ele tinha gostado mais , "piscina" diz o menino! Aí para a próxima....

Moral da história: as minhas botas novas são muito confortáveis!!!





























Comentários

Mais lidas